Publicado por: noticiasdesiao | 31 de março de 2015

MINHA MÃE É UMA JIHADISTA

A NOTÍCIA QUE DESTROÇOU UMA FILHA

Aos 34 anos, Amal Farah descobriu que a sua mãe, Faduma Jama, era uma jihadista ao serviço do grupo terrorista Al-Shabab, da Somália. Dentro do grupo terrorista, a mãe de Amal é conhecida como Mama Shabab. Amal Farah contou as suas experiências ao jornal britânico Sunday People, numa entrevista que foi publicada no dia 29 de Março, e no programa de televisão Lorraine, da iTV.

al_Shabab
Mama Shabab faz parte do grupo terrorista islâmico Al-Shahab, responsável pelo atentado do shopping center Westgate em Nairobi que resultou na morte de 72 pessoas e deixou 175 feridos.

PESQUISE NO GOOGLE

Quando foi informada pela polícia acerca das ações da mãe, em 2012, Amal foi aconselhada a pesquisar no Google o porquê de Mama Shabab estar metida em problemas. “Só quando cheguei ao trabalho é que coloquei o nome dela no Google. Havia todas aquelas fotografias de pessoas feridas devido a ataques de homens-bomba”, conta Farah, citada pelo The Guardian. “À medida que fui lendo o que ela tinha feito, senti-me tão sozinha. Não me podia virar para os meus colegas e dizer ‘adivinhem, a minha mãe é uma terrorista procurada’. Não queria acreditar no que a minha própria mãe estava envolvida, chorei durante dias a fio”, continua.

Amal Farah descobriu, nas suas pesquisas, que a mãe tinha casado com um dos líderes de Al Shabab, um grupo terrorista, e que vivia na Somália. “Aceitei que nunca mais a veria. Como é que ela ia explicar que se tinha juntado ao Al Shabab?”, diz Farah.

Amal Farah nasceu na Somália. Aos quinze anos, foi para o Reino Unido com a família. Durante a faculdade, Farah decidiu deixar de ser muçulmana. Essa decisão desiludiu a mãe, que cortou qualquer contacto com a filha. A última vez que falaram foi em 2007, por telefone.

Desde que descobriu que a sua mãe é uma jihadista, Amal Farah passou a fazer parte do Conselho de Ex-Muçulmanos do Reino Unido, um grupo que combate o radicalismo islâmico. “Eu amo a minha mãe, mas não serei capaz de aceitar as coisas terríveis que ela fez. Magoa saber que não a vejo mais, mas ela fez a sua escolha”, afirmou Amal ao jornal Daily Mail.

FONTE: REVISTA SÁBADO – PORTUGAL

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: