Publicado por: noticiasdesiao | 8 de janeiro de 2015

CAÇADOS!

FRANÇA À CAÇA DOS TERRORISTAS DE PARIS

procurados

OITENTA E OITO MIL POLICIAIS MILITARES e das FORÇAS ARMADAS além de agentes da POLÍCIA SECRETA franceses estão à caça de dois irmãos, suspeitos pelo atentado de quarta-feira na redação do jornal Charlie Hebdo, que terminou com a morte de 12 pessoas. A polícia localizou os dois homens no Norte do país, segundo algumas fontes citadas pela imprensa francesa.

Por trás do ataque em pleno centro de Paris estiveram três homens: os dois irmãos Kouachi, de 32 e 34 anos, e Hamyd Mouradi, de 18 anos, que se entregou durante a última noite, após descobrir o seu nome entre os suspeitos.

A polícia concentra agora as buscas sobre os dois irmãos, Chérif e Said Kouachi. Uma grande operação policial foi montada durante a tarde com o objetivo de limitar o raio de ação dos suspeitos. Apesar de não haver qualquer confirmação oficial, são várias as testemunhas que relatam o aparato de helicópteros, veículos policiais e elementos de forças de intervenção em pequenas cidades a Nordeste de Paris.

Foram mobilizados em todo o território cerca de 88 mil elementos das forças de segurança, revelou o ministério do Interior, dos quais quase dez mil estão destacados apenas para a região de Paris. A maioria pertende à polícia (50 mil) e à polícia militar, denominada Gendarmerie (cerca de 32 mil).

As buscas estão agora limitadas às imediações da cidade de Longpont, depois de interpelações porta-a-porta noutras localidades. As autoridades francesas decidiram colocar a região da Picardia – onde os suspeitos foram localizados – no nível máximo de alerta, à semelhança do que já foi feito na quarta-feira em relação à zona parisiense.

“A vila está completamente fechada a cadeado. Temos ordem para ficar no interior e não sair à rua”, descreveu ao Libération uma gerente de um restaurante de Longpont.

À AFP uma fonte da polícia confirmou que o carro em que seguiam os dois irmãos foi abandonado e a televisão local France 3 Picardie diz que ambos estarão numa casa, uma tese que carece de confirmação. Em Crépy-en-Valois, perto do local onde os suspeitos foram localizados, esteve em curso uma grande operação policial para a qual foram mobilizados helicópteros e carros policiais. O prefeito da cidade, Bruno Fortier, confirmou à Reuters a existência da operação, mas revelou desconhecer se os suspeitos estariam de fato escondidos nalguma casa.

Ainda não houve qualquer confirmação oficial e as autoridades têm insistido quanto à necessidade de manter a confidencialidade das investigações. Foram detidas nove pessoas relacionadas com o atentado, revelou ao final da tarde de quinta-feira o ministro do Interior, Bernard Cazeneuve, que apesar de não confirmar se os dois suspeitos foram localizados, afirmou que “a polícia nacional atuou em vários locais”.

O ministro explicou ainda que “mais de 90 pessoas se apresentaram como testemunhas” e que “os exames post mortem às vítimas já foram realizados”. “Um plano anti-terrorismo está em marcha e estão a ser postos à disposição da polícia poderosos meios”, acrescentou Cazeneuve.

De manhã, os dois irmãos tinham sido localizados na Estrada Nacional 2, na região de Aisne, no Norte do país, de acordo com testemunhas ouvidas pelo jornal Le Parisien. Os suspeitos encontravam-se a bordo do mesmo veículo no qual abandonaram Paris, um Clio branco com as placas cobertas, ao fim da manhã de quarta-feira, minutos depois do atentado.

Os suspeitos deslocavam-se na direção de Paris, segundo fontes policiais, temendo-se que possam tentar executar um novo ataque na capital francesa.

Os homens foram vistos num posto de gasolina, que terão assaltado, e foram identificados pelo gerente, que contactou a polícia. A testemunha afirmou que ambos estavam mascarados e ainda dispunham do armamento com que executaram o ataque.

Neste momento (21 horas em Paris, 19 horas em Brasília) helicópteros sobrevoam a região de Aisne, a cerca de 80 quilômetros a nordeste de Paris, e unidades do GIGN – uma força de intervenção especial das Forças Armadas – encontram-se nas imediações. Algumas fontes relatam que foi posto em marcha o plano Epervier na zona sul do departamento de Aisne, onde foram localizados os suspeitos. Este plano é utilizado para limitar uma certa área em situações de perseguição policial, através do bloqueio de estradas e de outros acessos.

COM INFORMAÇÕES DO PÚBLICO / REUTERS / FRANCE PRESS

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: