Publicado por: noticiasdesiao | 4 de dezembro de 2014

O VINHO E A BÍBLIA

DESCOBERTA DE ADEGA MOVIMENTA ARQUEÓLOGOS EM ISRAEL

Arqueólogos encontram em Israel uma adega gigante de 3.700 anos. As quarenta jarras que fazem parte da milenar enoteca contém vestígios de um vinho encorpado, composto com uma mistura onde há a presença de mel, menta, canela, zimbro e resina.

Arqueólogos descobrem Adega Gigante em Israel
Arqueólogo trabalhando na adega descoberta em Tel Kabri

A ADEGA DE TEL KABRI

Uma adega 33m2 foi descoberta em Tel Kabri, uma ruína arqueológica pertencente a uma antiga cidade cananeia, no Norte de Israel. Os arqueólogos desenterraram 40 vasilhas, cada uma com uma capacidade de 50 litros, que datam de aproximadamente 1700 anos antes de Cristo. Os pesquisadores estavam a escavar um sítio arqueológico situado perto da cidade Nahariya quando depararam com a descoberta. Seguindo as datações aceitas no universo da arqueologia a cidade seria da Idade do Bronze e esteve ativa entre os anos 2000 a.C. e 1550 a.C.

Num primeiro momento os arqueólogos começaram a desenterrar apenas uma vasilha, a quem deram o nome de “Bessie”, mas quando começaram a aparecer 10, 15 outras vasilhas, eles lançaram mão do sistema LiDAR de escaneamento de superfícies e só aí deram-se conta da joia que tinham diante de si.

No final, eram 40 vasilhas acumuladas numa adega com uma área de 4,5 por 7,5 metros. Segundo as contas dos arqueólogos, o volume total de vinho guardado nestas vasilhas seria de 2000 litros, o equivalente a 3000 garrafas de vinho dos padrões atuais.

“A adega estava localizada perto de um salão onde se realizavam banquetes, um local onde a elite de Tel Kabri e, possivelmente, convidados estrangeiros consumiam carne de cabra e vinho”, disse Assaf Yasur-Landau, diretor da escavação e professor de arqueologia da Universidade de Haifa. “A adega e o salão foram destruídos todos ao mesmo tempo, durante o mesmo fenômeno, talvez um terremoto, que cobriu as salas com tijolos de barro e gesso”.

Os pesquisadores fizeram uma análise de vestígios da composição do líquido guardado nas vasilhas e chegaram à conclusão que além de ácido tartárico e ácido siríngico, dois componentes importantes do vinho, a bebida ali depositada continha outros ingredientes populares nos vinhos daquela época: mel, menta, canela em pau, zimbro e resina.

Jarras para vinho em  Israel
Duas das quarenta jarras de vinho de Tel Kabri

A ADEGA NA VISÃO DO LiDAR

Assim que os arqueólogos perceberam a importância do achado eles lançaram mão do LiDAR, uma tecnologia ótica de detecção remota que permite, através da medição com luzes refletidas, obter a distância e a forma de objetos enterrados. O sistema LiDAR, uma sigla para a expressão inglesa Light Detection And Ranging é um dos métodos mais utilizados na moderna arqueologia. Veja abaixo a forma como o LiDAR é utilizado e as imagens da adega de Tel Kabri obtidas com esta tecnologia.

LIDAR scanner images
Assim funciona o sistema LiDAR

LiDAR wine cellar in Israel
A adega toda mapeada pelo LiDAR

LiDAR wine jars in Israel
Imagem aproximada das jarras de vinho de Tel Kabri obtidas pelo LiDAR

LiDAR wine Israel
Uma das jarras de vinho de Tel Kabri na visão do LiDAR

LiDAR in archaeology
Imagens podem ser obtidas também através de aeronaves não tripuladas

O VINHO DOS TEMPOS BÍBLICOS

O vinho é um elemento recorrente na cultura cananeia e judaica, o que faz da bebida uma presença constante ao longo dos relatos bíblicos. Segundo Gênesis 9.20, Noé foi a primeira pessoa a cultivar vinhas logo depois do Dilúvio. Nos séculos que se seguiram era comum que cada família judaica possuísse sua própria vinha, protegendo-se inclusive à sombra das suas parreiras, conforme vemos relatado em 1 Reis 4.25.

Praticamente toda a cultura daquela época tinha objetivos alimentares e terapêuticos, sendo que as uvas era utilizadas secas ou esmagadas. Isaías 5.1,2 descreve o processo de cultivo de uma vinha: “O meu amado tem uma vinha num outeiro fértil. E cercou-a, e limpando-a das pedras, plantou-a de excelentes vides; e edificou no meio dela uma torre, e também construiu nela um lagar; e esperava que desse uvas boas”.

Ruínas de torres e lagares são comuns nas escavações arqueológicas de Israel, mas nunca haviam sido descobertas adegas com vestígios de vinhos tais como esta de Tel Kabri. Há, inclusive, um grupo de pesquisadores a trabalhar na elaboração de um tipo de vinho similar às amostras encontradas. Será o primeiro vinho a ser produzido seguindo uma constituição dos tempos bíblicas. Provavelmente venha a resultar numa bebida rústica, de sabor acentuado e forte graduação alcoólica. A composição complementar – mel, menta, canela, zimbro e resina – talvez justifique a recomendação de Paulo em 1 Timóteo 5.23, quando aconselhou seu pupilo a beber água com “um pouco de vinho”, por causa dos problemas que este tinha com o “estômago” bem como as “frequentes enfermidades” que o acometia.

Israeli Wines
Amostra de vinhos produzidos atualmente em Israel no Vale de Jezreel

CURSO DE ARQUEOLOGIA EM ISRAEL

A descoberta da Adega de Tel Kabri não só reforça o quão surpreendente continua sendo o subsolo de Israel para arqueólogos de todo o mundo como nos dá a oportunidade de reforçar o convite para o Curso de Arqueologia Bíblica que acontecerá no ano que vem em Israel e que terá cobertura completa do Notícias de Sião.

O curso, intensivo, terá uma duração de 14 dias, com aulas na Hebrew University of Jerusalem e no Kibutz Yad HaShmona. As aulas de campo incluem locais significativos para a arqueologia bíblica com deslocações dos alunos para Jerusalém, para o Vale do Jordão, o Deserto do Neguev e a Galileia.

Os alunos também vivenciarão situações especiais que permitirão um mergulho na história, na cultura e nos costumes do povo de Israel. Navegarão pelo Mar da Galileia, dormirão numa tenda beduína, andarão de camelo, flutuarão no Mar Morto, caminharão pelo Deserto do Neguev e participarão de um autêntico Kabbalat Shabbat no Kibutz Yad HaShmona.

O curso terminará com uma Cerimônia de Graduação e entrega dos certificados na Hebrew University of Jerusalem.

Antiga Adega em Israel
Adega de Tel Kabri com as marcações típicas dos arqueólogos

COMO PARTICIPAR DO CURSO QUE TERÁ COBERTURA DIÁRIA DO NOTÍCIAS DE SIÃO

Devido às particularidades do curso, o número de vagas é limitado. Por isso, caso esteja interessado entre em contacto com José Nogueira de Lima Filho através das seguintes ligações:

nogueirapesquisas@gmail.com / + 55 85 3214-1412 (FIXO) / + 55 85 9912-0017 (TIM) / + 55 85 8970-3458 (OI) / + 55 85 9118-2008 (CLARO)

Anúncios

Responses

  1. Publiquei um artigo semelhante há pouco mais de um ano, Tel Kabri é realmente um lugar incrível… No próximo ano estarei apoaindo pessoalmente a viagem deste grupo. Sucesso!
    Miguel, Diretor do Cafetorah.com
    http://www.cafetorah.com/portal/Tel-Kabri


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: