Publicado por: noticiasdesiao | 3 de maio de 2011

EUA DESRESPEITOU O ISLÃ

PARECE PIADA, MAS PARA ESPECIALISTA ISLÂMICO OSAMA BIN LADEN MERECIA MAIS RESPEITO

Essa você não vai acreditar! Acabo de ouvir a entrevista de um professor de islamismo onde ele explica que os EUA falharam no tratamento dado ao corpo de Osama bin Laden.

Professor insinua que EUA deveria permitir honras post-morten ao terrorista

O corpo de Osama bin Laden terá sido lançado ao mar, segundo informações do Governo dos Estados Unidos. Este posição teria sido tomada levando em conta diversas questões, sendo que as duas principais são: Primeiro, nenhum país sério estaria disposto a receber os restos mortais do terrorista, a não ser os países islâmicos não alinhados aos EUA. Segundo, o local do sepultamento poderia tornar-se um centro de peregrinação para fundamentalistas islâmicos e um polo gerador de novos terroristas.

Partindo destas premissas, os conselheiros militares indicaram que a melhor solução seria lançar o que sobrou do saudita ao mar mantendo, como se diz na gíria policial, o “local da desova” em sigilo.

Ao divulgar este procedimento, o Governo americano enfatizou que foram dispensados ao corpo todo o respeito possível, inclusive oferecendo-lhe um funeral dentro do ritual islâmico. O objetivo do Governo Obama é não melindrar os muçulmanos norte-americanos nem criar um clima hostil nos países árabes amigos.

Essas notícias foram prontamente refutadas, em entrevista à Radio TSF de Lisboa, pelo especialista em islamismo e professor da Universidade Marroquina de Rabat, Raúl Braga Pires.

Segundo Braga Pires, a Casa Branca errou ao dizer que o funeral no alto mar não contraria a religião islâmica. E foi além: Afirmou que o sepultamento do líder da al-Qaeda “vai totalmente contra a lei islâmica do ponto de vista do tratamento do defunto”.

Didaticamente, Braga Pires explicou que “o caixão islâmico não existe, é uma caixa com um fundo aberto, onde o corpo fica em contacto com a terra”.

O professor disse ainda que para ser um verdadeiro ritual muçulmano, o corpo deveria ter sido “embrulhado numa mortalha e deitado na terra com o rosto virado para Meca para, depois, serem colocadas tábuas em cima para o proteger”.

Em tom de crítica, Braga Pires advertiu que “não existe qualquer preceito [islâmico] para se deitar um indivíduo ao mar” e que houve, por parte das autoridades norte-americanas, uma “desatenção e alguma precipitação” quanto ao local onde foi depositado os restos mortais de Osama bin Laden.

Braga Pires aproveitou para alfinetar os americanos dizendo que não foi a primeira vez que eles desrespeitaram os princípios islâmicos. E referiu-se ao enforcamento do ditador iraquiano Saddan Hussein, que foi marcado para um dia de festa do calendário islâmico. Para o especialista em islamismo, os EUA deveriam esperar terminar a festa dos muçulmanos para enforcar o facínora.

Resta-nos algumas perguntas? 1. Que tipo de consideração tinha estes “nobres muçulmanos” com as milhares de vítimas – judias e cristãs – que seus atos terroristas ceifaram de forma violenta ao longo de suas vidas? 2. Será que eles se preocuparam com os corpos dos pais, mães, filhos e filhas daqueles que foram atingidos nos atentados de 11 de setembro de 2001 ou procuraram se informar se estes tinham alguma festa para ir na semana em que explodiram o World Trade Center? E, principalmente: 3. Uma vez que, em vida, eles tudo fizeram para mecerer o pior dos destinos, o Inferno, lá chegando, que diferença fará se seus corpos foram ou não respeitados por ocasião das exéquias?

Anúncios

Responses

  1. Para mim os restos mortais de Osama Bin Laden deveria ser jogado aos chacais para ser devorado e, o que sobrasse, jogado para os porcos devorarem.
    .
    Um homem que mata milhares de pessoas inocentes, não merece tratamento honroso após a morte.

  2. O corpo não é nada, pior é a alma que foi para o inferno! a propósito um amigo me falou que quando ele chegar no inferno o diabo mandaria ele voltar para não colocar os diabinhos no mal caminho! isso é que bom humor!

  3. Pelo que se percebe, estão tratando um terrorista como um muçulmano inocente.
    O ritual muçulmano é para pessoas e não para monstros como este terrorista, infelizmente, tão cultuado por muitas pessoas de personalidade deformada.

  4. Deus diz que não tem prazer na morte do ímpio, não devemos nos alegrar com a morte dele, mas ele ter um funeral de honra é querer dizer que ele foi bonzinho, eu acho que o diabo ainda não o tinha levado com medo dele explodir o inferno. E os milhares que foram mortos na explosão das torres gêmeas tiveram um funeral digno?
    Não, suas famílias não tiveram esse direito, porque ele teria? Parece até piada.

  5. Gostaria de apenas de enfatizar que os americanos, durante mais de 50 anos… blá, blá, blá, blá, blá, blá… [Para o bem da verdade o restante deste comentário não será publicado].

  6. É tinha que jogar no mar mesmo e acho que a decisão dos EUA de não mostrar as fotos do corpo certa. Temos que prestar atenção em uma coisa ele morreu e foi pro inferno e muitas pessoas que ele matou morreram sem Cristo e também foram para lá, cremos que o inferno é real, não estar na hora de fazer alguma coisa por amor as pessoas que para lá estão indo? Fica o recado para todos que lerem, vamos agir enquanto é tempo, porque se aproxima o dia.

  7. A bem da verdade é que o exercito americano foi muito generoso em fazer tal sepultamento observando alguns preceitos islamicos, uma vez que o proprio terrorista utilizava-se de tal religião (com aval de sua liderança) para incitar o odio contra judeus e cristãos.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: