Publicado por: noticiasdesiao | 14 de maio de 2010

YOM YERUSHALAYIM

12 DE MAIO, YOM YERUSHALAYIM.

Ontem foi o Dia de Jerusalém (Yom Yerushalayim). Fui cedo para a Capital e circulei pela cidade. Desci a Yaffo até a primeira quina da Muralha. Desci até o Independence Park que estava tomado por centenas de pessoas. Subi um pouco mais e cheguei na esquina da King George com a Gershon Agron Street. Que visão maravilhosa! Milhares e milhares de judeus e amigos de Israel estavam concentrados para o início da caminhada. O trajeto daTachana Mercazit (Estação Central de Ônibus) até a Old City e de lá até a King George é muito longo. Mesmo assim, depois desta jornada, acompanhei toda a caminhada da multidão que voltou para a Cidade Velha e a rodeou. Terminei literalmente extenuado. Mas feliz! Das centenas de fotos que tirei selecionei algumas para compartilhar com vocês. Enjoy!

PARA OBSERVAR MAIS DETALHES, CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIÁ-LAS.

Adolescentes participam ativamente. Enquanto as meninas organizam a massa, os rapazes animam: Cantam. dançam, gritam palavras de ordem. As futuras gerações garantem o apoio a uma Yerushalayim Indivizível!

Turistas na sacada do Kings Hotel juntam-se ao júbilo dos judeus pela reunificação de Yerushalayim

A bandeira de Yerushalayim tremula diante dos turistas na sacada do hotel

Jovens judias etíopes manifestam apoio à Capital do país que acolheu seus pais na Operação Moisés

Jovens etíopes acompanham a marcha

A Festa para Yerushalayim é, acima de tudo, uma Festa de Família.

E no que depender dos filhos destas famílias, o apoio a Yerushalayim está garantido para as próximas gerações.

Alegria espontânea da criança diante da bandeira do seu país

Em todos os grande eventos públicos vemos judeuzinhos exercitando seu tino comercial. Aqui, duas crianças vendem água e suco

Pausa para descansar, porque ninguém é de ferro.

Lá do alto as pessoas observavam entre si...

Lá do alto as pessoas guardavam para si...

Lá do alto os fotógrafos registravam para dividir.

... e, lá do alto, os seguranças vigiavam para garantir.

Garantir que os mais excêntricos pudessem se expressar...

Garantir que eventuais extremistas não viessem a atrapalhar...

Atrapalhar a chegada de todos à Yerushalayim...

Onde a festa foi total, AO LADO DO KOTEL, como aconteceu há 43 anos!

MAZAL TOV YERUSHALAYIM!

UMA ATITUDE EXEMPLAR PARA CONCLUIR

A foto acima mostra uma passeata palestina. Imagine, hipoteticamente é claro, que num feriado árabe qualquer, durante a peregrinação a Meca, a multidão de árabes que lá está cruze com seis judeus caminhando por uma calçada próxima. Vocês fazem idéia do que isso resultaria? Será que a polícia deste hipotético país estaria disposta a proteger os cinco judeus? E, mesmo que estivesse disposta, será que os policiais presentes conseguiriam conter essa massa? Estou completamente certo de que o que ocorreria seria um massacre dos seis judeus!

O interessante é que esta é a idéia que muita gente faz de Israel. Muitas pessoas pensam que se um palestino resolvesse cruzar com a passeata registrada nas fotos acima, seria alvo da “massa judaica insana” que o trucidaria sob os olhares complacentes dos “truculentos soldados israelenses”. Estes não só ficariam de braços cruzados como até contribuiriam com a violência.

Infelizmente, uma parcela cada vez maior de pessoas, acredita que a população israelense é anti-árabe e que as Forças de Defesa de Israel são compostas de brutamontes cujo maior divertimento é castigar palestinos indefesos. Nada mais anti-semita. Nada mais falso!

E já que o objetivo do Blog NOTÍCIAS DE SIÃO é mostrar, como diz seu slogan, que Israel é bem mais do que você está acostumado a ver, ouvir ou ler, compartilho com vocês um filme que fiz durante a passeata. Nele, eu registrei uma cena inimaginável no contexto dos inimigos de Israel.

Inimaginável por diversos motivos, a começar pela liberdade de ir e vir. Nenhum “infiel” pode entrar em Meca. Ou seja, você jamais verá seis judeus caminhando ao lado dos árabes em Meca ou Medina. E não precisa ser lá, aqui mesmo em Israel é possível ver isso.

A semana passada esteve aqui em Jerusalém um grupo de brasileiros. Curiosamente o líder do grupo era de origem árabe. Um daqueles brasileiros com nome, sobrenome e cara de árabe. Não só estava na cidade mais sagrada para os Judaísmo como pôde entrar com o grupo, livremente, no local mais sagrado da cidade sagrada, o Kotel, e ir até o Muro das Lamentações. A poucos metros dali está o Domo da Rocha, o TERCEIRO ou QUARTO lugar mais sagrado para os Muçulmanos. Se este líder, árabe-brasileiro, quisesse levar o grupo para conhecer a mesquita que está sobre o domo, ele precisaria de uma autorização especial (nem sempre concedida) e, mesmo assim, cada visitante teria que pagar 7 dólares. Ou seja, o grupo teria que pagar mais de 650 Reais por esta visita.

Bem, voltando a cena que eu filmei. A multidão que participou da caminhada por Yerushalayim era composta, na sua maioria, por jovens e adolescentes da mesma faixa etária dos palestinos presentes na foto acima e que estamos acostumados a ver jogando pedras nas manifestações contra Israel. Ao passarem ao lado das Muralhas da Velha Cidade, a multidão de israelenses cruzou com seis árabes que caminhavam pela mesma calçada. Apontei minha câmera e comecei a filmar a cena inusitada. O resultado pode ser surpreendente para aqueles que acompanham as notícias distorcidas divulgadas pela mídia, mas não foi para mim.

Fico feliz de ter registrado as imagens que agora compartilho com vocês. Nelas, e num primeiro momento, a multidão de israelenses, no seu país, na sua Capital, caminha ordeiramente pelas ruas. Embora estejam cantando palavras de ordem em relação a defesa da sua Cidade Sagrada, não agridem com palavrões os seus inimigos.

De repente, seis árabes aparecem caminhando tranqüilamente pela calçada. Uma mulher, um jovem e um velho árabe sobem a rua. Três mulheres, também árabes, descem em sentido oposto. Ao perceber que um judeu, participante da passeata, deixou a rua e está caminhando pela calçada, e que neste trajeto pode topar com os árabes, um policial se antecipa e pede ao judeu que volte para a rua a fim de deixar a calçada livre para os árabes.

Como se não bastasse, o vídeo mostra que o policial recebeu apoio de outros policiais que em duas motos acompanham as três mulheres árabes até que estas cheguem a outra rua onde, seguras, afastam-se da multidão.

Nada mais respeitoso, nada mais civilizado, nada mais desconhecido pelo mundo. Isso é Israel!

Veja o vídeo abaixo e compartilhe com alguém que você conhece e que pensa exatamente o contrário a respeito de Israel e do seu povo, os Judeus.

Anúncios

Responses

  1. […] dos mesmos. Um deles trata da tolerância em Kfar Saba e o outro sobre a minha experiência numa passeata em […]

  2. Genial as fotos, parabéns
    Um dia irei conhecer de perto a minha jerusalém.
    Abs

    Jolluah Ben Cândido


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: